Ponte do rio Preto é incendiada após uma semana do acidente que matou os irmãos em Candeias do Jamari

Uma semana após dois irmãos caírem de uma ponte e morrerem afogados no rio Preto, moradores fizeram um protesto no local e incendiaram a ponte de madeira de uma linha rural em Candeias do Jamari. A manifestação teve início na noite de domingo (5) e seguiu até a manhã desta segunda-feira (6).

Moradores ateiam fogo em ponte sobre o rio Preto em protesto após morte de adolescente e criança — Foto: Thiago Bastchen/ Rede Amazônica

Na semana passada, o pequeno Luiz Davi, que tinha 2 anos, e Beatriz Oliveira Machado, de 16, acabaram morrendo afogados após caírem com a mãe da ponte em uma moto.

   Continua após o anúncio  

Segundo moradores, o protesto foi feito como forma de chamar a atenção para péssimas condições da ponte do rio Preto.

Uma moradora da região, que não quis se identificar, disse que por volta das 5h desta segunda-feira ainda havia resquícios do incêndio sobre a ponte de madeira.

“O ônibus da linha estava parado, pois não quis passar pela ponte. Tinha fogo por baixo da estrutura de madeira”, disse.

   Continua após o anúncio  

Ao g1, o dono de um balneário da região contou que após finalizar o expediente, no domingo, passou pela ponte e ainda não havia manifestação. Mas na manhã desta segunda-feira rele recebeu fotos do local queimado.

“O povo está revoltado sobre as condições precárias da ponte e falta de manutenção e reparos”, contou.

O empresário destaca que a ponte é usada por mais de sete mil famílias que moram perto do rio e em linhas rurais adjacentes. “Com essa ocorrência [de incêndio] serão prejudicadas várias pessoas, além de ônibus escolares que vão ficar isolados”, pontua.

   Continua após o anúncio  

Josvane da silva santos, primo dos dois irmãos que morreram afogados na semana, diz não concordar com o fato dos moradores atearem fogo na ponte, mas compreende que foi a forma de chamar atenção e tentar melhorias.

“Todos os dias passam cinco ônibus em cima dessa ponte. Dentro dos ônibus estão as minhas filhas, pois elas precisam ir para escola. Não vemos a contribuição para o melhoramento da ponte. Eu perdi pessoas da minha família.

As pessoas que passam aqui passam de carrão, e a gente aqui tem só uma ‘motinha’. Naquela noite, se a mãe das crianças tivesse passado de carrão nada disso tinha acontecido, mas como estava na moto aconteceu essa tragédia. Ela só queria socorrer o filho doente”, diz.

Fonte: G1 Rondônia.

Compartilhe esta matéria:

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram

+ Sobre o tema

Destaques